Militar iraquiano seria fonte de informação sobre armas

Um comandante do exército de Saddam Hussein foi a fonte de uma versão dos serviços de inteligência britânicos segundo a qual o Iraque poderia disparar armas de destruição em massa em 45 minutos, informou o jornal Financial Times. O primeiro-ministro Tony Blair tem sido intensamente criticado pelo fato de que nenhuma arma química, biológica ou nuclear fora encontrada, até agora, no Iraque.A polêmica foi aguçada por versões de que o gabinete de Blair modificou um informe de espionagem, publicado em setembro, para ressaltar um dado, sem confirmação, segundo o qual Saddam poderia lançar armas químicas ou biológicas 45 minutos depois de dada a ordem. O Financial Times, citando "altos funcionários" civis, disse que essa informação foi fornecida por um "comandante iraquiano em serviço ativo das forças armadas". O nome da fonte não foi informado.Segundo a rádio BBC, o gabinete de Blair incluiu a versão dos 45 minutos no informe geral, apesar de os funcionários de inteligência não terem considerado a informação confiável. Blair insistiu que o material usado para respaldar sua decisão de ira à guerra foi aprovado pela Comissão Conjunta de Inteligência.Ontem, o premier anunciou que irá cooperar com a investigação parlamentar sobre se mentiu ou exagerou os informes de inteligência em relação às armas iraquianas de destruição em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.