Militares americanos serão julgados por estupro de menina iraquiana

Quatro soldados americanos acusados de estuprar uma garota iraquiana e de assassinar seus familiares serão julgados por uma corte marcial, anunciaram fontes militares nesta quarta-feira. Dois dos suspeitos poderão enfrentar pena de morte. Segundo as autoridades militares americanas, os soldados Paul E. Cortez e Jesse V. Spielman poderão pegar a pena de morte pelo estupro e assassinato da garota Abeer Qassin, de 14 anos, morta na casa de seus familiares na cidade de Mahmoudiya, a 32 quilômetros de Bagdá. O caso foi motivo de ultraje em todo o planeta e deu combustível para as acusações de que as forças americanas cometeram abusos sistemáticos no Iraque.Os soldados James P. Barker e Bryan L. Howard também são acusados pelo estupro e assassinato, mas não enfrentarão a pena de morte.Também nesta quarta-feira, autoridades militares americanas anunciaram que outros quatro soldados serão submetidos a cortes marciais pelo assassinato de três homens na cidade de Samarra, localizada a 96 quilômetros da capital.Corte FederalNo caso de estupro e assassinato, há ainda outro militar envolvido, o ex-soldado Steven Green, que foi dispensado por distúrbios de comportamento e preso na Carolina do Norte. Green será julgado por uma corte federal no Estado de Kentucky, mas já negou todas as acusações que pesam contra ele e os outros militares. Segundo promotores militares, os cinco envolvidos no caso planejaram o ataque a partir de um posto de controle próximo a casa da família, trocaram de roupa para não serem reconhecidos e colocaram fogo no corpo da garota para destruir as evidências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.