Militares britânicos sugerem retirada do Iraque para se concentrar no Afeganistão

Alguns importantes militares ingleses estão defendendo a retirada do Iraque para que as forças possam se concentrar no Afeganistão, segundo informou o jornal The Guardian nesta sexta-feira.Os defensores de tal ação acreditam que podem ganhar a guerra no Afeganistão, segundo a reportagem do jornal, que não identifica as fontes. O secretário da Defesa Des Browne recentemente pressionou os aliados da Otan a contribuir com a luta contra o talibã no sul do Afeganistão. "Os aliados devem agir no sentido de contribuir com nosso comprometimento coletivo de apoiar o governo e o povo do Afeganistão", disse Browne em reunião da Otan em Portoroz, Eslovênia, na quinta-feira. Atualmente a Inglaterra tem 7.500 homens no Iraque e 5.600 no Afeganistão.Em memorando da equipe de funcionários da Academia de Defesa, que vazou nesta semana, refletia o argumento do ministro. "As forças armadas da Inglaterra são mantidas reféns no Iraque - em razão da falha do acordo tentado pelo COS (chefe da equipe) para resgatar as forças armadas do Reino Unido do Iraque no sentido de ´enviá-las para o Afeganistão´ - e agora estamos lutando (e perdendo, ou perdendo em potencial) nas duas frentes", afirma o memorando. O ministério da Defesa disse que o memorando não foi escrito por um alto funcionário, e que o autor estava reproduzindo opiniões de uma gama de fontes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.