Militares capturados estavam em águas iraquianas, diz Blair

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, qualificou neste domingo de "muito grave" a captura de 15 marinheiros e infantes de Marinha do Reino Unido por forças iranianas, na sexta-feira, no norte do Golfo Pérsico, num incidente que qualificou de "injustificado e errado".Em declarações aos meios de comunicação britânicos em Berlim, ao término das celebrações pelo 50º aniversário do Tratado de Roma, Blair afirmou que "simplesmente não é certo" que os 15 militares estivessem em águas iranianas quando foram detidos. O premier acrescentou que não queria fazer nenhum comentário até agora porque quer resolver a situação facilmente, já que "é mais importante o bem-estar das pessoas capturadas pelo governo iraniano", embora tenha reconhecido que esta "é uma situação muito grave". "Não há dúvidas de que essas pessoas foram capturadas em águas iraquianas", insistiu. Blair disse que espera que esta situação possa ser resolvida pela via diplomática nos próximos dias. "Quanto mais rápido a resolvamos, mais fácil será para todos", afirmou. "Simplesmente, não é certo que estivessem em águas territoriais iranianas, e espero que o governo iraniano entenda que este assunto é fundamental para nós", afirmou Blair.O chefe do governo britânico acrescentou que se enviou a Teerã uma mensagem clara para que os militares sejam libertados. "Não deveriam ter dúvida alguma sobre a seriedade deste ato;sobre o quanto é injustificado e errado", ressaltou.O Ministério de Assuntos Exteriores britânico convocou em duas ocasiões o embaixador iraniano em Londres, Rasoul Movahedian, para exigir-lhe a imediata libertação dos militares, que pertencem à tripulação da fragata HMS Cornwall.O Reino Unido insiste em que os 15 foram capturados pela força naval iraniana em águas territoriais iraquianas no norte do Golfo Pérsico, mas Teerã afirma que os britânicos entraram em águas iranianas.De acordo com as autoridades de Londres, o grupo capturado tinha completado a inspeção de um navio mercante quando suas duas lanchas foram cercadas e escoltadas por navios iranianos até águas territoriais do Irã.A fragata HMS Cornwall patrulha o Golfo Pérsico para manter a segurança nas águas territoriais iraquianas e proteger suas infra-estruturas marítimas.A captura dos 15 britânicos ocorreu na sexta-feira na área do canal Shatt al-Arab, limítrofe entre Iraque e Irã e cujo controle suscitou a guerra que os dois países travaram entre 1980 e 1988. A detenção ocorre em um momento de grande tensão entre o Irã e a comunidade internacional, especialmente Estados Unidos e Reino Unido, por causa das atividades nucleares iranianas.O Conselho de Segurança das Nações Unidos votou no sábado a favor de impor novas sanções ao Irã, se o país não detiver suas atividades de enriquecimento de urânio.O Reino Unido e o Irã viveram um incidente similar em 2004 quando o regime de Teerã manteve oito militares britânicos detidos durante três dias por entrarem de forma ilegal em águas jurisdicionais do Irã, no Golfo Pérsico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.