Jaime Saldarriaga/Reuters
Jaime Saldarriaga/Reuters

Militares colombianos morrem em confronto com dissidentes das Farc

Embate aconteceu na madrugada desta quarta, 17; após acordo de paz entre o governo e os guerrilheiros, grupos de dissidentes passaram a atuar ao lado do narcotráfico, segundo autoridades do país

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2020 | 11h05

BOGOTÁ - Seis soldados do exército colombiano morreram e outros oito ficaram feridos durante uma operação contra dissidentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) na madrugada desta quarta-feira, 17. A informação foi confirmada por autoridades militares do país.

As forças armadas colombianas realizavam a operação contra um grupo armado liderado pelo dissidente Álvaro Boyaco, na zona rural do município de La Macarena, no departamento de Meta, localizado na região central do país.

"Os soldados que ficaram feridos foram atendidos de maneira prioritária por enfermeiros de combate da unidade e transferidos em aeronaves do exército até a cidade de Florencia, no departamento vizinho de Caquetá", diz o comunicado das forças armadas colombianas.

Ainda de acordo com as informações oficiais, comandantes do exército foram até o local da operação para informarem-se de maneira direta sobre o sucedido".

O exército assegurou que vai abrir uma investigação para determinar as circunstâncias do ataque sofrido pelos militares.

Atualmente, os rebeldes dissidentes das Farc operam sem um comando unificado e, de acordo com autoridades colombianas, financiam-se diretamente do narcotráfico e da extração ilegal de minério. Cálculos oficiais apontam que cerca de 2.300 pessoas atuem nesses grupos.

Ainda que aliviada pelo acordo de paz com as Farc, que desmobilizou o grupo guerrilheiro, transformando-o em partido político, a Colômbia ainda vivencia um conflito armado que tem mais de meio século, com uma cifra de quase 9 milhões de vítimas entre mortos, desaparecidos e deslocados./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.