Made Nagi/EFE
Made Nagi/EFE

Militares confirmam que submarino indonésio naufragou

As equipes militares de resgate mobilizadas encontraram destroços do submarino e objetos de dentro do aparelho

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2021 | 10h05
Atualizado 24 de abril de 2021 | 10h48

BALI - As autoridades da Indonésia confirmaram neste sábado, 24, que o submarino que desapareceu na costa de Bali com 53 pessoas a bordo na última quarta-feira afundou, após a descoberta de destroços no mar.

A Marinha estimou que a tripulação tinha oxigênio para sobreviver 72 horas em caso de pane elétrica e esse prazo terminou esta manhã, tornando muito improvável que haja sobreviventes.

"Com base nos elementos que encontramos e que vêm do 'KRI Nanggala', mudamos a situação do submarino de 'desaparecido' para 'afundado'", declarou Yudo Margono, porta-voz da Marinha da Indonésia, em uma entrevista coletiva.

As equipes militares de resgate mobilizadas encontraram destroços do submarino e objetos de dentro do aparelho. Além disso, foi detectada uma mancha de óleo na área onde o submarino naufragou, o que sugere que o tanque se rompeu, em um indício de que houve um problema técnico no aparelho.

As autoridades militares anunciaram que o submersível poderia ter afundado a cerca de 700 metros, uma profundidade maior do que aquela que o submarino, fabricado há 40 anos, poderia suportar.  O 'KRI Nanggala 402', fabricado na Alemanha, solicitou autorização para submergir na quarta pela manhã no âmbito de manobras militares e desapareceu.

As equipes de resgate enviaram mais de uma dúzia de helicópteros de busca e navios para a área onde o contato foi perdido, Os Estados Unidos enviaram uma equipe de resgate para ajudar e a Austrália enviou dois navios para a área.

A Marinha da Indonésia informou que está investigando se o submarino perdeu potência durante o mergulho e não conseguiu realizar procedimentos de emergência enquanto descia bem além de sua capacidade.

Frans Wuwung, contra-almirante aposentado da Marinha indonésia, que já chefiou a sala de máquinas do submarino, disse ao canal de notícias MetroTV que ele acreditava que um apagão pode ter ocorrido, o que poderia ter feito a tripulação entrar em pânico. "Um blecaute significa que o equipamento da embarcação não pode ser movido," disse o almirante, lembrando que experimentou um blecaute no mesmo submarino em 1985.

A Indonésia opera cinco submarinos - dois de construção alemã Tipo 209s, como o Nanggala, e três sul-coreanos mais novos. O país tem buscado modernizar suas capacidades de defesa, mas alguns de seus equipamentos são antigos e já houve outros acidentes fatais nos últimos anos./AFP e Reuters 

Tudo o que sabemos sobre:
naufrágiosubmarino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.