Militares da Tailândia matam 19 rebeldes

Militares da Marinha da Tailândia se defenderam contra um violente ataque de militantes em sua base no sul do país, matando 16 insurgentes após uma troca de tiros, de acordo com as autoridades nesta quarta-feira. A ofensiva resultou no maior número de mortos das guerrilhas muçulmanas desde que mais de 100 morreram em um único dia quase uma década atrás.

AE, Agência Estado

13 de fevereiro de 2013 | 04h25

Cerca de 50 militantes vestindo uniformes de estilo militar atacaram o Corpo de Fuzileiros Navais da base do distrito de Bacho na província de Narathiwat, disse o capitão Somkiat Ponprayun, chefe da força-tarefa especial do Corpo de Fuzileiros Navais da província.

O tiroteio terminou com 16 militantes mortos e o resto em fuga, afirmou Somkiat. O número de mortos foi reduzido do montante inicial de 19, que havia sido informado mais cedo por militares locais.

Somkiat disse que os soldados que rechaçaram o ataque não sofreram baixas. Ele afirmou que os militares da marinha haviam sido informados anteriormente pelos moradores da região sobre o ataque. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.