Militares de Guiné-Bissau tomam rádio estatal e cercam residência de premiê

Militares tomaram ontem a rádio estatal de Guiné-Bissau, enquanto tropas do Exército ocuparam a sede do partido governista e a avenida onde vive o primeiro-ministro do país, Carlos Gomes Júnior (foto). Disparos de foguetes foram ouvidos perto da casa do premiê, que, em fim de mandato, obteve 48,97% dos votos em eleições organizadas há quase um mês. Antes da movimentação militar, Kumba Yala, ex-presidente e o principal adversário de Gomes Júnior - que obteve 23,26% no primeiro turno - havia convocado um boicote ao segundo turno da votação, denunciando fraudes na etapa anterior. A data da próxima votação foi adiada ontem do dia 22 para o dia 27.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.