Militares dos EUA ainda não prevêem deixar o Iraque

O comandante do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos Estados Unidos, Richard Myers, comentou que não pode calcular quanto tempo os soldados americanos continuarão no Iraque. "Sinceramente, creio que não é possível saber ao certo quanto tempo ficaremos lá", disse ele a um grupo de jornalistas. "Se eu tivesse em minhas mãos uma estimativa profissional, então isso poderia ser usado como referência, mas, sabendo que esse cálculo não seria exato, nós seríamos alvo de críticas."Myers ressaltou não estar preocupado com a possibilidade de os iraquianos pedirem às forças dos EUA que deixem o país árabe quando a soberania do Iraque for restabelecida, o que está previsto para 30 de junho: "Esta não é exatamente uma grande preocupação." Pressionado sobre quando terminaria a presença militar dos EUA no Iraque, Myers repetiu: "Não existe nenhum prazo específico em minha cabeça. Deixaremos que os eventos ditem quando o Exército sairá."Sua declaração reflete uma relatório entregue pela Casa Branca ao Congresso esta semana. "Por enquanto, não é possível saber o tempo exato das operações militares nem a duração e o escopo necessários do deslocamento das forças armadas dos EUA para que todos os nossos objetivos sejam atingidos", dizia o documento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.