Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Militares dos EUA e Iraque planejam megaofensiva em Bagdá

Militares americanos no Iraque disseram que um centro que comandará uma megaofensiva contra insurgentes passará a operar a partir desta segunda-feira em Bagdá. A operação será realizada em conjunto pelas forças iraquianas e americanas e será, segundo o coronel americano Doug Heckman, que assessora o Exército iraquiano, "algo muito maior do que a cidade jamais viu".O anúncio ocorre um dia depois que um caminhão-bomba matou cerca de 135 pessoas e deixou mais de 300 feridos em um mercado, em uma área predominantemente xiita da capital. A ofensiva está sendo vista como uma renovada tentativa de evitar uma guerra civil entre muçulmanos xiitas e sunitas.O centro será liderado pelo general iraquiano Abboud Gambar, um xiita que lutou contra as forças americanas na Guerra do Golfo, em 1991.Apesar de o centro entrar em operação nesta segunda, ainda não se sabe quando a ofensiva terá início. A mídia iraquiana diz que poderia começar no mesmo dia.EscaladaForças americanas e iraquianas deverão varrer os bairros de Bagdá a procura de insurgentes e armas ilegais.O governo do Iraque disse que irá anunciar mais detalhes do novo plano nos próximos dias.Será a terceira tentativa de reduzir a violência na capital desde que o primeiro-ministro Nouri Maliki chegou ao poder em maio. Ainda não está claro quantos soldados iraquianos e americanos participarão da ofensiva.Mas a violência continua a se escalar na capital. Um funcionário do Ministério do Interior disse à agência de notícias Associated Press que cerca de mil civis iraquianos, forças de segurança e militantes morreram apenas na última semana.Em janeiro, o presidente americano, George W. Bush, anunciou que estará enviando mais 21,5 mil soldados ao Iraque - a maior parte deverá atuar em Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.