Militares egípcios ainda não contestam decisão de Morsi

Os militares egípcios até agora não deram sinais de estarem articulando-se contra a surpreendente decisão do presidente Mohammed Morsi de aposentar o chefe de gabinete e o ministro da Defesa, general Hussein Tantawi, e retomar os poderes que as Forças Armadas retiraram da presidência.

AE, Agência Estado

13 de agosto de 2012 | 10h48

Quase um dia inteiro após a ordem, não foi reportado nenhum movimento militar fora do comum no país. A reestruturação pegou o Egito de surpresa. Transformou a imagem de Morsi de líder enfraquecido para a de político astuto, que esperou cuidadosamente a melhor hora para agir contra os generais que o despojaram de poderes significativos antes de assumir o cargo, em 30 de junho.

O Exército parece ter acatado as decisões do presidente. A agência de notícias estatal citou um oficial militar anônimo que afirmou não ter ocorrido nenhuma "reação negativa" dentro das Forças Armadas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoForças ArmadasMorsi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.