Militares iraquianos cobram salários atrasados

Apenas um mês após sua derrota para os americanos, cerca de 300 soldados iraquianos protestaram nesta segunda-feira na principal base do Exército dos Estados Unidos em Bagdá para exigir o pagamento de soldos atrasados, e um lugar no Iraque pós-Saddam Hussein."Com nossa alma, com nosso sangue, nós nos sacrificamos por você, Iraque", gritavam os manifestantes, em trajes civis, no momento em que se juntavam a um grupo de servidores públicos que protestava para pedir o rápido retorno à normalidade - inclusive o pagamento dos salários - sob a ocupação americana."Não queremos o dinheiro americano nem o dinheiro de ninguém", disse Ali Kadhim Mohammed, um sargento da força aérea de 32 anos. "Temos a riqueza petrolífera do Iraque. Era isso que gerava nossos salários antes e é isso o que queremos agora."Ele disse ter recebido seu último soldo, equivalente a US$ 60, em fevereiro, ainda sob o comando de Saddam Hussein.O Escritório de Reconstrução e Assistência Humanitária, criado pelos Estados Unidos para governar o Iraque, está efetuando pagamentos emergenciais de US$ 20 a alguns servidores públicos, para retomar as operações da burocracia.O Exército iraquiano, porém, não foi beneficiado. No fim de semana, o general americano Richard Myers, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, disse que a administração americana está analisando formas de recompor um Exército iraquiano "novo e reformado".Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.