Militares libertam três detidos durante repressão em Mianmar

Personalidades famosas foram liberadas nesta quinta; junta afirma que 500 manifestantes permanecem presos

Efe,

18 de outubro de 2007 | 08h04

Três dissidentes que foram detidos nas últimas manifestações a favor da democracia em Mianmar foram libertados pelas autoridades, informou nesta quinta-feira, 18, a emissora local da BBC.   Veja também: Entenda a crise e o protesto dos monges    Zaganar, um dos comediantes mais famosos do país, o ator Kyaw Thu e a sua mulher foram soltos. Eles haviam sido detidos em 26 de setembro, no primeiro dia de repressão aos protestos liderados pelos monges budistas, segundo a mesma fonte.   A junta militar de Mianmar confirmou na quarta-feira que quase 3 mil pessoas foram presas desde que o regime começou a reprimir as manifestações. Pelo menos 500 detidos continuam na prisão.   O enviado especial da ONU para Mianmar, Ibrahim Gambari, está viajando por vários países asiáticos. Ele busca apoio para solucionar a crise e conseguir que o governo militar liberte todos os presos políticos e os detidos durante os protestos.   Até o momento, o regime admite que 10 pessoas morreram durante a repressão dos protestos. Mas fontes da dissidência calculam que o número de mortos se aproxima de 200 e que os detidos superam amplamente os 6 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarprotestomonges

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.