Militares passam poder a líder golpista na Mauritânia

Junta militar que derrubou presidente transfere cargo a general; chefe de Estado segue em prisão domiciliar

Agência Estado e Associated Press,

12 de agosto de 2008 | 10h57

A junta militar que na semana passada derrubou o governo democraticamente eleito da Mauritânia transferiu nesta terça-feira, 12, o poder no país ao líder do golpe, general Mohamed Ould Abdel Aziz. A transferência de poder faz parte de uma lei de 11 artigos aprovada pela junta e anunciada por meio de um comunicado divulgado hoje em Nuakchott, a capital mauritana. A lei confere ao general que liderou o golpe todos os direitos reservados ao mais alto posto político do país africano.   Veja também:Novo Conselho da Mauritânia baixa decreto reafirmando poder     O documento alega ainda que o golpe de Estado aplicado no último dia 6 deveu-se à deterioração das condições da vida cotidiana na Mauritânia, ao fato de o presidente Sidi Ould Cheikh Abdallahi ter dificultado acesso a diversas instituições do governo e à demissão de quatro comandantes das forças armadas pelo chefe de Estado na quarta-feira da semana passada.Soldados capturaram o presidente mauritano, seu primeiro-ministro e três outros funcionários do alto escalão do governo cerca de uma hora depois de o chefe de Estado ter anunciado a demissão do alto comando das Forças Armadas.   O primeiro-ministro Yahya Ould Ahmed Waqef e os outros três funcionários foram libertados na segunda-feira. O presidente permanece em regime de prisão domiciliar.    

Tudo o que sabemos sobre:
Mauritâniagolpe de Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.