Militares promovem golpe de Estado na Mauritânia

Oficiais renegados do Exército da Mauritânia capturaram o presidente e o primeiro-ministro do país africano durante um golpe de Estado em andamento hoje, informou Abdoulaye Mamadouba, porta-voz do governo. A ação dos militares começou horas depois de os líderes do país terem afastado quatro militares do alto escalão das Forças Armadas mauritanas, prosseguiu o porta-voz. O presidente Sidi Ould Cheikh Abdallahi é mantido refém por soldados renegados no palácio do governo em Nuakchott, a capital, afirmou Mamadouba. Os soldados também detiveram o primeiro-ministro Yahya Ould Ahmed Waqef, disse o porta-voz.As emissoras estatais de rádio e televisão estão fora do ar. Testemunhas afirmam ter visto soldados tomando posições nas ruas da capital. Não há informações imediatas sobre episódios de violência. O governo civil liderado por Abdallahi sucedeu uma junta militar que havia tomado o poder por meio de um golpe em 2005 e se afastado após eleições realizadas dois anos depois. Não foi divulgada explicação oficial para o afastamento dos quatro líderes militares, anunciado hoje. Entre os afastados estava o comandante do Estado-Maior das Forças Armadas, general Mohamed Ould Sheikh Mohamed.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.