Militares que seguiam para o Haiti devem voltar ao RJ

Cerca de 120 militares que iriam substituir um contingente no Haiti não conseguiu pousar em Porto Príncipe, capital daquele país, na tarde de terça-feira, devido às más condições da pista do aeroporto, segundo informações da Força Aérea Brasileira (FAB).

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

13 de janeiro de 2010 | 13h06

Com a impossibilidade do pouso, a aeronave da FAB seguiu para Santo Domingo, na República Dominicana, de onde partiu para Boa Vista, em Roraima.

Segundo o Centro de Comunicação do Exército, o grupo deve partir para o Rio entre hoje e manhã. Ainda não foi feito um planejamento para o envio desses militares para o Haiti, segundo o Exército.

Ajuda

A FAB disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas no terremoto no Haiti. São três C-130 Hércules e um Boeing 707, que estão de prontidão no Rio de Janeiro, além de quatro C-105 Amazonas, que estão em Manaus.

A prioridade, neste primeiro momento, será o envio de água e de alimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotomilitaresFAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.