Militares querem acesso a 9 mil páginas de gravação de tabloide

Coronel afirmou que polícia está prejudicando famílias de vítimas das guerras

, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2011 | 00h00

LONDRES - O coronel Douglas Young, comandante das Forças Armadas britânicas, afirmou ontem que a polícia está prejudicando as famílias de vítimas da guerra no Iraque e no Afeganistão ao não revelar quem foi grampeado pelo tabloide News of the World. Os militares exigem acesso a cerca de 9 mil páginas de transcrições das escutas.

Douglas prometeu que fará o possível para marcar uma reunião com o chefe da Polícia Metropolitana de Londres, caso as famílias das vítimas continuem sem saber, nos próximos dias, se foram ou não grampeadas. "É preciso que a polícia dê uma resposta, o mais rápido possível, e informe todos os envolvidos, senão ela deixará no ar muitas dúvidas e preocupações", afirmou o coronel.

A notícia de que o tabloide grampeou familiares de soldados que morreram em combate irritou o Exército britânico, que classificou o caso de um "ataque sujo e indefensável" à privacidade. Uma associação de parentes de militares afirmou que o escândalo fará com que os soldados no front coloquem agora em dúvida qualquer telefonema para casa. Um porta-voz da família de Jean Charles de Menezes disse ontem que entrou com um pedido para saber se a família do brasileiro foi ou não grampeada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.