Militares resgatam ministros em fronteira da Bolívia com o Brasil

Militares e policiais da Bolívia resgataram nesta quarta-feira três ministros que estavam como reféns dos habitantes de Puerto Suárez, na fronteira com o Brasil, informou nesta quarta o porta-voz presidencial, Alex Contreras."Um grupo de efetivos da força naval e da polícia acompanharam este resgate", explicou o funcionário a jornalistas na porta do Palácio de Governo em La Paz.Os ministros detidos desde terça-feira na sede do Comitê Cívico de Puerto Suárez eram os de Planejamento do Desenvolvimento, Carlos Villegas; Desenvolvimento Econômico, Celinda Sosa; e Mineração, Walter Villarroel.Segundo Contreras, o resgate não causou danos aos ministros, nem aos que mantinham as autoridades detidas nesse povoado de 14.000 habitantes, e os funcionários embarcaram em um avião às 4h (5h de Brasília) rumo a La Paz, onde já se encontram.Com a retenção, os habitantes da localidade exigiam uma licença ambiental para a empresa siderúrgica MMX, filial da brasileira EBX, cujas atividades o governo boliviano considera ilegais.Contreras disse que esse pedido não será considerado, "porque não se aceitará que uma empresa ilegal venha impor atitudes que prejudiquem o meio ambiente e danifiquem os recursos naturais".O porta-voz acrescentou que o Executivo tem informação de que a EBX está "financiando inclusive alguns grupos em Puerto Suárez", para levar adiante a mobilização que começou nesta quarta-feira no local, com o bloqueio de estradas e linhas férreas.O bloqueio impede a passagem para à cidade brasileira vizinha de Corumbá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.