Militares são acusados por morte de civil que ignorou toque de recolher

Chile

, O Estadao de S.Paulo

17 de março de 2010 | 00h00

A Justiça chilena acusou ontem cinco militares da Marinha pela morte, no dia 9, de um homem que desobedeceu ao toque de recolher que vigora na cidade de Concepción desde o terremoto do dia 27. Os militares - dois sargentos, um cabo e um soldado - estão sendo processados pela Justiça Militar por uso excessivo da força seguido de morte.

A vítima, Daniel Riquelme Ruiz, de 45 anos, morreu depois de ter sido espancada pelos militares, segundo a acusação. Os militares estão detidos na base militar de Talcahuano há cinco dias. Outro civil, Iván Rojas, fugiu dos militares durante a abordagem e testemunhou a agressão contra a vítima.

Na semana passada, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, assumiu o governo prometendo ampliar o estado de emergência para além das duas regiões mais afetadas, Biobío e Maule. Mas o novo presidente ainda não deu detalhes sobre a extensão da nova zona de exceção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.