Militarização na fronteira não assusta brasileiros

O anúncio do envio de cerca de seis mil soldados da Guarda Nacional para a fronteira entre os Estados Unidos e o México não assustou a comunidade de imigrantes brasileiros que vivem nos Estados Unidos. Pelo menos, é o que afirma Fausto Mendes da Rocha, diretor-executivo do Centro do Imigrante Brasileiro, em Boston. Ele explicou à BBC Brasil que as atenções da comunidade brasileira em relação ao discurso do presidente George W. Bush, na segunda-feira, estiveram mais voltadas para as questões ligadas à legalização de imigrantes."A possibilidade de uma futura legalização trouxe mais alívio do que medo em relação à militarização", garantiu Fausto. Isso porque, segundo ele, a imigração ilegal de brasileiros para os Estados Unidos já foi reduzida substancialmente desde outubro do ano passado, quando o México passou a exigir visto também para os brasileiros. A medida foi colocada em prática por pressão do governo americano e surtiu o efeito desejado.´Pegar e Soltar´Outra razão que contribuiu significativamente para a redução do fluxo de imigração ilegal de brasileiros para a América foi o fim do programa "Catch and Release", que em uma tradução livre significa "Pegar e Soltar".Até então, os imigrantes ilegais pegos pelas autoridades americanas eram soltos até que fossem julgados e deportados. Muitos deles desapareciam antes que o processo fosse completado. Agora, todos aqueles que são interceptados pela polícia da fronteira são mantidos presos até o momento da deportação. "Essas duas medidas foram determinantes para a diminuição da vinda de imigrantes brasileiros ilegais para cá, por isso o reforço do patrulhamento da fronteira não é mais um motivo de preocupação pra gente", explicou.A diretora-executiva da Aliança Brasileira nos Estados Unidos, entidade com sede em Connecticut, concorda que apesar de a questão da militarização da fronteira assustar um pouco, ela não está no centro do debate entre os imigrantes brasileiros."A comunidade brasileira na verdade vê nas palavras do presidente Bush uma luz no fim do túnel, um caminho para a legalização. E isso é o mais importante", disse. O presidente Bush afirmou que vai introduzir um sistema de vistos temporários para trabalhadores convidados, além de permitir que imigrantes ilegais consigam a cidadania americana.ManifestaçõesA partir de quarta-feira, começa uma nova onda de manifestações pelos direitos dos imigrantes em várias partes do país. Centenas de organizações se mobilizam em torno da campanha nacional "Somos uma América" e vão às ruas na tentativa de pressionar o Congresso americano a mudar a lei de imigração dos Estados Unidos.O calendário de manifestações é o seguinte: quarta-feira, em Boston; quinta-feira, em Los Angeles; sexta-feira, em Washington e, finalmente, sábado, em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.