Milosevic é indiciado por crimes de guerra

Um juiz das Nações Unidas (ONU) confirmou hoje outro indiciamento contra o ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic, acusando-o do assassinato de centenas de civis e da expulsão de 170 mil pessoas não-sérvias da Croácia. O juiz Almiro Rodrigues, de Portugal, confirmou o indiciamento de Milosevic por 32 acusações de perseguição, tortura, assassinato, pilhagem, prisão ilegal, destruição de instituições religiosas e escolas, e outros "atos desumanos", no âmbito de uma campanha sérvia de limpeza étnica, entre agosto de 1991 e junho de 1992. Milosevic foi trazido para o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (montado e financiado pelas Nações Unidas) em junho, a fim de ser julgado por supostas atrocidades em Kosovo, durante a ofensiva sérvia sobre os albaneses étnicos daquela província iugoslava, em 1999. A ofensiva terminou depois dos bombardeios promovidos pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), contra as tropas sérvias. Os promotores do tribunal afirmam que estão trabalhando para abrir um terceiro indiciamento contra Milosevic - pelos crimes de guerra cometidos na Bósnia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.