Milosevic é sepultado no jardim da casa da família

O caixão com o corpo do ex-presidente sérvio e iugoslavo Slobodan Milosevic foi enterrado neste sábado no jardim da casa de sua família em Pozarevac, sem honras de Estado e sem a presença de sua mulher e filhos. Rodeado por quase 50 de seus colaboradores próximos e amigos, sob chuva forte, o caixão foi colocado no túmulo junto a uma árvore ao som da marcha fúnebre e dos sons melancólicos de canções russas. O acesso ao túmulo em que o corpo de Milosevic ficará foi preparado com um amplo tapete verde que cobre quase todo o jardim, de aproximadamente 30 metros de comprimento por 20 de largura. No túmulo está inscrito em letras douradas o nome do ex-dirigente sérvio, as datas de seu nascimento e morte, com o nome de sua viúva, Mira Markovic, e a data de seu nascimento. Ao redor foram colocadas os coroas de flores de sua viúva, de seus filhos, Marko e Marija, e a de seu irmão Borislav Milosevic. Os familiares de Milosevic não vivem na Sérvia há alguns anos e não quiseram voltar para esta ocasião. Na cerimônia do enterro não houve ritos religiosos já que Milosevic era ateu, segundo explicaram anteriormente os organizadores do sepultamento do Partido Socialista da Sérvia (SPS). Seguidores Entre os que assistiram ao enterro, estiveram os altos nomes do SPS e vários convidados russos, entre eles um dos vice-presidentes da Duma, Serguei Baburin, e o líder dos comunistas russos, Guenadi Ziuganov. Estiveram também os ex-chefes do Estado-Maior do Exército iugoslavo Nebojsa Pavkovic e Dragoljub Ojdanic, e o ex-vice-presidente do Governo iugoslavo Nikola Sainovic. Os três são acusados de crimes de guerra e estão em liberdade provisória até o início do julgamento perante o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII). Assistiram ainda ao sepultamento, Tomislav Nikolic e Aleksander Vucic, líderes do partido ultranacionalista radical sérvio, e o ex-presidente iugoslavo Zoran Lilic. Fora do jardim, a umas dezenas de metros da porta de entrada, um cordão policial teve que impedir que milhares de seguidores de Milosevic que levavam suas fotos, bandeiras sérvias e do SPS, e flores, se aproximassem do túmulo. Milosevic morreu há uma semana aos 64 anos de idade em sua cela na prisão do TPII, em Haia, que o julgava desde 2002 por sua suposta responsabilidade nos crimes de guerra cometidos na Bósnia, Croácia e Kosovo na década de 90.

Agencia Estado,

18 Março 2006 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.