Milosevic ficará detido durante investigações

Manifestando a preocupação de que Slobodan Milosevic poderia fugir se fosse libertado, um tribunal de Belgrado decidiu hoje que o ex-presidente ficará detido por mais dois meses enquanto prosseguem as investigações sobre sua conduta enquanto esteve à frente do governo iugoslavo. A prorrogação anunciada pelo tribunal dá às novas autoridades pró-democracia do país mais tempo para reunir evidências e montar um processo contra Milosevic, cujo longo e desastroso mandato acabou em outubro, após uma explosão de descontentamento popular. O advogado de Milosevic, Toma Fila, disse que ele apelará à Suprema Corte da Sérvia, a república dominante da Federação Iugoslava. Slobodan Milosevic foi preso em 1º de abril sob suspeita de corrupção e abuso de poder. Quando a polícia foi retirá-lo de sua residência em Belgrado, o ex-mandatário e seus seguranças tentaram resistir, mas desistiram após um impasse dramático de 36 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.