Milosevic mostra-se tranqüilo em julgamento

O ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic mostrou-se sorridente e tranqüilo no Tribunal Penal Internacional nesta quinta-feira, enquanto era acusado de genocídio e de ser o cérebro por trás de um plano para eliminar os muçulmanos na Bósnia. No julgamento por crimes de guerra referentes a seu papel nas guerras entre 1991 e 1995 na Croácia e na Bósnia, Milosevic apresentou os sérvios como vítimas de agressão étnica e disse que suas políticas eram a favor da paz e não da guerra.A primeira parte do julgamento, pela repressão contra os albaneses em Kosovo, durante 1998 e 1999, terminou em 11 de setembro; seguiu-se um recesso de duas semanas para dar-lhe tempo de preparar-se para a segunda parte do processo. Os promotores pretendem convocar 177 testemunhas, entre eles o presidente croata Stipe Mesic e o ex-presidente iugoslavo Zoran Lilic, por isso se espera que o julgamento prossiga até o primeiro trimestre de 2003.O promotor principal Geoffrey Nice disse que os indícios da destruição coordenada de aldeias e o assassinato sistemático de civis na Bósnia serão investigados até se chegar aos líderes sérvio-bósnios e, finalmente, até Milosevic. O ex-governante iugoslavo foi um "participante essencial em uma operação criminosa conjunta", disse Nice, com o principal objetivo de criar a Grande Sérvia. As acusações são as mais pesadas, bem como as mais difíceis de demonstrar no julgamento de Milosevic.Ele manteve o poder no país durante 13 anos, mas a promotoria indica que ele foi esperto para não deixar evidências em seu rastro. Especialistas jurídicos disseram que como Milosevic não era o presidente da Iugoslávia na época das atrocidades, o processo contra ele será mais difícil de ser sustentado. Os promotores dizem que Milosevic e outros membros da estrutura politica sérvia, como o ex-dirigente sérvio da Bósnia, Radovan Karadzic, planejaram e executaram um plano para assassinar milhares de civis e forçar um incontável número deles a abandonar seus lares.As acusações contra Milosevic se devem à execução sistemática de homens muçulmanos em Srebrenica e aos campos de concentração da Bósnia. Página após página das acusações apresentam uma lista de crianças, mulheres e idosos que teriam sido vítimas de uma "campanha de limpeza étnica". "Ele teve um papel fundamental na organização, no planejamento, financiamento e direção do plano", disse Nice.Na Bósnia, acrescentou, "a população civil sabia que não podia escapar. E, como destacou uma das testemunhas, a idéia criada na população civil do encrave (de Srebrenica), era de um impulso implacável que somente poderia terminar com a morte de todos".O general sérvio Radislav Krstic foi condenado no ano passado por genocídio por comandar as forças sérvias durante um massacre de uma semana no leste da Bósnia que deixou cerca de 8.000 mortos entre adultos e adolescentes muçulmanos.Milosevic enfrenta 61 acusações por delitos supostamente cometidos durante os cinco anos em que foi presidente da Sérvia, um a das repúblicas que formavam a antiga Iugoslávia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.