Mina de carvão sofre atentado a bomba na Colômbia

Quatro caminhões da Cerrejon, principal produtora de carvão da Colômbia, foram "seriamente danificados" por assaltantes munidos de explosivos neste domingo. Não há relatos de feridos na explosão, que ocorreu numa mina a céu aberto na região de La Guajira, no nordeste do país.

ANDRÉIA LAGO, Agência Estado

24 de fevereiro de 2013 | 17h53

O ataque ocorreu na véspera da reunião entre líderes sindicais e executivos da empresa, marcada para esta segunda-feira (25), para buscar um acordo que ponha fim à greve dos trabalhadores que já dura 17 dias.

O presidente do sindicato dos trabalhadores, Igor Diaz, rapidamente condenou o ataque. "É um ato lamentável que rejeitamos enfaticamente", disse o sindicalista em mensagem no Twitter. A Cerrejon é controlada pelas mineradoras Xstrata, Anglo American e BHP Billiton.

A greve dos trabalhadores paralisou todas as exportações da companhia. Como a principal produtora concorrente, a Alabama, também está impossibilitada de exportar carvão devido à suspensão de sua licença para operar o porto de Drummond no último dia 6 de fevereiro após um incidente ambiental em que a empresa assume ter despejado 300 toneladas de carvão no Mar do Caribe para evitar que uma de suas barcaças afundasse, a Colômbia está exportando apenas um quinto do carvão que embarca num dia normal. O país figura entre os cinco maiores produtores de carvão do mundo.

A paralisação dos trabalhadores levou a Cerrejon a declarar força maior em pelo menos algumas cargas, uma medida que livra a empresa de qualquer medida legal para entregar o carvão previamente negociado em contrato. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiamina de carvãobomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.