Mineiro resgatado diz que ainda não dorme direito

Omar Reygadas afirmou à BBC que está há 4 dias sem dormir, porque acorda sobressaltado.

BBC Brasil, BBC

18 de outubro de 2010 | 16h27

O mineiro Omar Reygadas, de 56 anos, resgatado na semana passada após permanecer 69 dias preso a cerca de 600 metros de profundidade no norte do Chile, disse que não conseguiu dormir direito desde que voltou à superfície.

Em entrevista exclusiva à BBC Mundo, Reygadas, o 17º dos 33 mineiros resgatados, reconheceu que ainda tem que "acertar" o sono.

"Faz uns quatro dias que não durmo. Durmo tipo uma hora e já acordo. Me assusto, e o sono passa, realmente."

Reygadas revelou também que se sente um homem "renascido" depois da traumática experiência.

Lágrimas na escuridão

Profundamente religioso, Reygadas credita a Deus o surpreendente bom estado de saúde dos 33 sobreviventes, mas admite que "falta um pouquinho" para se recuperar psicologicamente.

O mineiro também falou sobre a experiência de escrever cartas para a família na escuridão da mina.

"Até tive cartas que ficaram borradas porque caíram algumas lágrimas."

Apesar do trauma, Reygadas diz considerar a mineração a sua vida e que pretende voltar a trabalhar nos subterrâneos chilenos.

O sonho do minerador, no entanto, é poder transmitir a gerações futuras a experiência que teve e conscientizar as pessoas "para que tenham consciência de que o mineiro é um ser humano."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.