AP
AP

Mineiros afirmam que foram espancados pela polícia na África do Sul

Presidente Jacob Zuma está sendo criticado no Congresso Nacional pela ação, que resultou em 34 mortes

AE, Agência Estado

27 de agosto de 2012 | 13h26

JOHANESBURGO - A ouvidoria da polícia da África do Sul afirmou nesta segunda-feira, 27, estar investigando acusações de que mais de 150 mineiros em custódia foram espancados pela polícia. Sergundo o porta-voz da ouvidoria, Moses Dlamini, os trabalhadores alegam terem sido agredidos com bastões, socos e chutes, para que revelassem os nomes dos envolvidos na morte de dois policiais durante protestos violentos.

Veja também:

link África do Sul: morte de coelho causou violência em mina

link África do Sul de luto pelos mortes dos mineiros em greve

Mais de 250 grevistas estão presos, por acusações como assassinato e vandalismo. O presidente sul-africano, Jacob Zuma, está sendo criticado no Congresso Nacional por causa da ação policial contra 112 mineiros que resultou em 34 mortes.

Os trabalhadores protestavam em uma mina de platina da Lonmin, em 16 de agosto. Dlamini não quis comentar relatos de que autópsias mostram que os mineiros foram baleados pelas costas.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.