Mineiros espanhóis protestam contra austeridade

Milhares de mineiros espanhóis marcharam pela principal avenida de Madri nesta quarta-feira, em protesto contra as medidas de austeridade anunciadas pelo governo. Eles temem que os cortes prejudiquem os trabalhadores. Muitos vieram das distantes regiões onde estão as minas de carvão, zonas empobrecidas por causa da crise.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2012 | 09h02

Os mineiros caminharam sob forte sol, acompanhados por parentes e simpatizantes e usando os capacetes típicos da profissão. Fogos de artifício encherem o céu da capital da Espanha. Eles unem-se contra o corte de 63% nos subsídios de companhias de mineração decido pelo governo, que enfrenta recessão e o enorme déficit do país.

Alguns andaram por 18 dias para conseguir estar presentes no protesto. Eles foram recebidos como heróis na noite de terça-feira, quando os manifestantes concentraram-se na praça Puerta del Sol, uma das principais de Madri.

David Menendez, 30, trabalha em minas de carvão na região de Astúrias, norte da Espanha, e foi até Madri de ônibus, junto com parentes e colegas de trabalho. Ele trabalha no setor há dez anos e teme perder seu emprego em uma economia com poucas oportunidades. Ele usava um capacete e vestia uma camiseta preta com os dizeres "Orgulho de ser mineiro" na frente e "A causa dos mineiros" atrás. "Estou aqui para defender meu trabalho", disse Menendez. Ele se diz indignado com o aumento de impostos e medidas de austeridade anunciadas pelo primeiro-ministro Mariano Rajoy.

Os novos cortes vão economizar 65 bilhões de euros do orçamento em 2015. Incluem redução de salário de funcionários públicos e membros do Parlamento, redução nos benefícios para desempregados e aumento de impostos. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Espanhamanifestaçãomineiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.