Mineiros peruanos são resgatados após 7 dias

Nove mineiros peruanos foram resgatados nesta quarta-feira, após ficarem presos por seis dias numa mina de cobre abandonada. Os homens, cujas idades variam entre 23 e 58 anos, saíram sozinhos do local, cerca de uma hora antes do amanhecer, de um túnel que as equipes de resgate haviam construído após remover mais de 8 metros de terra e pedras.

AE, Agência Estado

11 de abril de 2012 | 14h40

Os mineiros, que usavam óculos de sol e receberam cobertores, foram recebidos pelo presidente Ollanta Humala. O presidente havia passado a noite na mina, localizada a 240 quilômetros a sudeste de Lima.

Os homens ficaram presos após um desmoronamento, provocado por uma explosão realizada pelo grupo. Eles se comunicaram os as equipes de resgate por meio de uma mangueira, colocada antes do acidente, pela qual eles também receberam comida e medicamentos durante os dias em que ficaram presos na mina.

Edwin Bellido, um dos mineiros, disse à rádio RPP que eles dormiram em plásticos cheios de lama. Ele contou que os homens mantinham-se animados contando piadas, cantando e correndo no túnel onde estavam, que tinha 50 metros de extensão. A mina Cabeza de Negro, onde o grupo trabalhava, fora abandonada na década de 1980.

Humala disse que o incidente mostra os perigos de trabalhar nesse tipo de mina no Peru, tarefa que envolve dezenas de milhares de pessoas. O presidente disse que deu instruções para que a Cabeza de Negro seja fechada definitivamente.

Ele destacou o trabalho conjunto do Estado e das empresas privadas que tornaram possível o resgate dos trabalhadores. Especialistas trabalharam arduamente na construção de um túnel, escorado com painéis de madeira, para chegar aos mineiros. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Perumineirosresgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.