Mineiros são acusados de assassinar colegas

Mineiros da empresa Lonmin detidos após greve e violento confronto com a polícia, foram acusados ontem de assassinarem seus colegas durante a mobilização. O porta-voz da promotoria de Johannesburgo, Frank Lesenyego, informou que "o tribunal acusou todos os trabalhadores de assassinato, sob a lei comum". Os acusados participaram da greve que mobilizou 3 mil trabalhadores na mina de Marika e terminou com 34 mortos após os policiais terem aberto fogo contra a multidão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.