Mike Hutchings/Reuters
Mike Hutchings/Reuters

Mineradores ilegais resgatados na África do Sul são presos pela polícia

Trabalhadores serão acusados por mineração ilegal; policiais continuam no local para o caso de mais alguém sair

O Estado de S. Paulo,

17 de fevereiro de 2014 | 15h57

JOHANESBURGO - Os 22 mineiros que estavam presos em uma mina de ouro desativada perto de Johanesburgo desde domingo foram detidos, após serem resgatados, e serão acusados por mineração ilegal, afirmou a polícia local nesta segunda-feira, 17.

Dez dos trabalhadores saíram da mina nesta segunda cobertos com pó amarelo e marrom e se juntaram aos outros 12 que haviam sido resgatados domingo, quando um guindaste retirou uma pedra que encobria a saída do local.

Os mineiros receberam líquidos e passaram por uma avaliação médica antes de serem detidos e levados para uma delegacia de polícia. A mina fica em Benoni, perto da capital Johanesburgo, e pertence ao grupo Gold One, que explora ouro e urânio na África.

A polícia e seguranças privados da mina colocaram arames farpados e permanecem na entrada do local para o caso de outros trabalhadores saírem. Alguns mineiros podem ter deixado o local na noite de domingo, quando as operações de socorro foram interrompidas. 

Segundo fontes municipais, o Departamento de Minas sul-africano fez chegar aos mineiros uma notificação afirmando que o buraco por onde entraram na mina será selado em 14 dias. As equipes de resgate, a polícia e os funcionários da prefeitura de Ekurhuleni (onde Benoni está localizado) não sabem precisar por enquanto quantas pessoas permanecem no subsolo.

"Existem muitos rumores e há quem fale de 200, 300 e até 400 pessoas sob a terra, mas os fatos são que resgatamos 22 entre ontem e hoje", disse Sugan Moodley, porta-voz dos serviços municipais de emergências.

As operações de resgate, que começaram no domingo, quando policiais ouviram gritos vindos da mina, se transformaram em poucas horas em uma difícil negociação para fazer com que os mineiros deixassem o local. "Os bombeiros convenciam aqueles que haviam saído da mina a persuadir seus companheiros que permaneciam lá dentro", disse Luyanda Majija, integrante do serviço de emergência ER24.

A mineração ilegal é comum em regiões perto de Johanesburgo e os trabalhadores ilegais ficam vários meses dentro das minas abandonadas sob condições precárias e perigosas. A maioria deles vem do Zimbábue e Moçambique.

Acidentes fatais dentro das minas são comuns e brigas entre grupos rivais já ocorreram.

O dono da mina em Benoni havia fechado a entrada do local com uma grande laje para evitar invasões, mas os mineiros ilegais escavaram ao redor dela. A laje se deslocou, impossibilitando a saída deles./ REUTERS

 
Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulmineiros ilegais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.