Ministério agora diz que bomba matou 5 no Afeganistão

O governo do Afeganistão revisou para cinco o número de mortos na explosão de uma bomba no momento em que diversas pessoas estavam a caminho de uma festa de casamento. Inicialmente, o Ministério de Interior havia confirmado que as mortes chegavam a 21. Não foi explicado o motivo da discrepância. As cinco pessoas mortas são o condutor do veículo, a esposa dele, duas crianças e mais uma mulher.

AE-AP, Agencia Estado

06 de agosto de 2009 | 11h57

Também ontem um bombardeio promovido pelos Estados Unidos provocou a morte de cinco pessoas, disseram hoje autoridades locais e funcionários norte-americanos. O comandante da polícia local afirmou que as vítimas eram agricultores que ajeitavam uma carga de pepinos dentro de um carro. No entanto, uma porta-voz do Exército dos EUA alega que os homens eram milicianos e estavam colocando armas dentro de um veículo utilitário.

Os episódios de violência aumentaram acentuadamente depois que as forças ocidentais intensificaram suas ações em áreas controladas pela milícia fundamentalista islâmica Taleban nas semanas que antecedem as eleições presidenciais do dia 20. O crescente número de mortes de civis tem manchado os esforços internacionais na luta contra os insurgentes.

Os EUA e seus aliados afirmam que a proteção aos civis afegãos é uma prioridade. No mês passado, o comando militar norte-americano no Afeganistão impôs restrições aos ataques aéreos. Ao mesmo tempo, o Taleban divulgou um código de conduta prometendo limitar ataques a civis e evitar ataques suicidas.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoexplosãobomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.