Ministério da Defesa diz que intercedeu para que incidentes na fronteira venezuelana não se repitam

Segundo o ministério, militares brasileiros e venezuelanos negociaram no local e os veículos antidistúrbios que estavam na barreira montada na Venezuela recuaram "imediatamente"

Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2019 | 19h39

BRASÍLIA - O Ministério da Defesa afirmou na noite deste domingo, 24, em nota divulgada há pouco, que intercedeu para que novos incidentes na fronteira entre Brasil e Venezuela, envolvendo a população venezuelana e a Guarda Nacional Bolivariana (GNB), não voltem a acontecer. Segundo o ministério, militares brasileiros e venezuelanos negociaram no local e os veículos antidistúrbios (aparato militar) que estavam na barreira montada na Venezuela recuaram "imediatamente".

Na noite de sábado, três pessoas morreram em confrontos com a GNB e 31 ficaram feridas em Santa Elena do Uairén, cidade venezuelana que faz fronteira com o Brasil. "Os veículos antidistúrbios, que estavam na barreira montada no país vizinho, recuaram imediatamente. Militares brasileiros e venezuelanos negociaram, no local, e foi entendida a inconveniência da presença desse tipo de aparato militar", diz o comunicado.

A pasta ainda afirma que, do lado brasileiro, o controle dos acolhidos foi reforçado para evitar novos confrontos, acrescentando que a fronteira do Brasil continua aberta para acolher os refugiados.

++ Estrutura de atendimento do Hospital Geral de Roraima está à beira de um colapso

"Há um ano, o Brasil está engajado na Operação Acolhida – ação humanitária para atender aos irmãos venezuelanos que chegam no País. Por isso, o Ministério da Defesa reitera a confiança numa solução urgente para a situação na Venezuela", completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.