Ministra israelense articula governo de coalizão

A ministra de Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, começou hoje a articular rapidamente a formação de um governo de coalizão, enquanto o primeiro-ministro, Ehud Olmert, entregava formalmente seu pedido de renúncia.Livni, que venceu o ministro dos Transportes, Shaul Mofaz, na eleição pela liderança do partido Kadima, tem 42 dias para formar um governo de coalizão para evitar eleições gerais, que aconteceriam três meses depois.A ministra ganhou respeito por ser favorável a acordos de paz com os palestinos e a Síria, ao mesmo tempo em que se distanciava do impopular Olmert. Ela pode se tornar a segunda mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra de Israel, depois de Golda Meir, que governou o país de 1969 a 1974.Olmert, que vinha sendo pressionado por uma série de denúncias de corrupção, apresentou formalmente no domingo sua renúncia ao presidente israelense, Shimon Peres. "Esta decisão não foi fácil, não foi simples e não foi tomada impensadamente", disse Olmert antes de uma reunião de gabinete. Ele prometeu ajudar Livni, um rival de longa data, a formar o novo governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.