EFE/Paul Zinken
EFE/Paul Zinken

Ministro alemão acusa Trump e Le Pen de ‘fazer política com medo'

Frank-Walter Steinmeier denunciou que líderes não debatem os fatos, apenas brincam com emoções, e pediu que comecem a dar mais argumentos ao invés de distorcer a realidade

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2016 | 16h00

BERLIM - O ministro das Relações Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, alertou nesta quinta-feira, 20, sobre o risco de novos populismos e nacionalismos, e acusou o americano Donald Trump, a francesa Marine Le Pen, o holandês Geert Wilders e o partido Alternativa para a Alemanha (AfD) de "brincar com os medos das pessoas e fazer política com o medo".

"Vemos que o monstro do nacionalismo desperta de novo e se nutre de um só alimento: o medo", ressaltou Steinmeier em uma conferência sobre tolerância e diversidade organizada no marco da presidência alemã da Organização para a Segurança e a Cooperação em Europeia (OSCE).

O chefe da diplomacia alemã denunciou que esses líderes não debatem os fatos, mas brincam com emoções, e pediu que deem argumentos e não distorçam a realidade.

Para Steinmeier, quando os cidadãos têm medo por seu futuro, acham que a política perdeu o controle e apostam no isolamento. Ele indicou que é necessário recordá-los que ninguém encontrará só uma solução para problemas globais e que o caminho continua sendo o diálogo e o multilateralismo.

Como exemplo, destacou o acordo nuclear alcançado com o Irã após anos de negociações e conversas com vários grupos em torno do conflito da Ucrânia, que embora ainda esteja "longe" de ser solucionado, conseguiram, segundo sua opinião, evitar uma escalada na região.

"O populismo e o isolamento não são nenhuma solução", insistiu Steinmeier convencido de que são, de fato, um risco para a convivência à promoção da intolerância, um perigo para a economia em um mundo globalizado e "veneno" para a política externa. / EFE

Mais conteúdo sobre:
AlemanhaNacionalismoPopulismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.