Sascha Steinbach/EFE/EPA
Sascha Steinbach/EFE/EPA

Ministro alemão é alvo de ataques homofóbicos

Vídeo mostra Jens Spahn tentando conversar com manifestantes e sendo interrompido por gritos de 'vergonha' e 'porco gay'; ele também foi alvo de cusparadas

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2020 | 06h43

BERLIM - O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, tem sido atacado com frequência em manifestações cada vez mais agressivas de extremistas de direita que são contra as restrições impostas pelo governo em razão da pandemia do novo coronavírus.

No sábado, Spahn, um político conservador e gay, foi ofendido e alvo de cusparadas quando tentava falar com uma multidão que se concentrava do lado de fora de um evento antes das eleições locais na Renânia do Norte-Vestfália.

Um vídeo do encontro na cidade de Bergisch Gladbach mostra Spahn tirando a máscara para falar aos manifestantes. Ele então é abafado por gritos de “vergonha” e “porco gay”. Falando em evento ontem em Bottrop, onde a imprensa reportou um clima igualmente hostil, o ministro criticou aqueles que “ficam dentro do seu mundo do Facebook e do WhatsApp, estão cada vez mais agressivos e não procuram mais contato com quem tem opinião diferente”, segundo o jornal The Guardian.

No sábado, ao menos 18 mil se reuniram em Berlim para protestar contra as medidas de restrição. A polícia dispersou a multidão. Ontem, o governo local determinou que todos devem usar máscaras em atos com mais de 100 pessoas. / AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.