Ministro alemão lamenta 'revés para democracia no Egito'

A deposição de Mohammed Morsi do cargo de presidente do Egito foi considerada pelo ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, como "um grande revés para a democracia" no país.

AE, Agência Estado

04 de julho de 2013 | 07h17

O ministro alemão disse que um "abandono" como este "da ordem democrática não é uma solução sustentável para os grandes problemas que o Egito enfrenta".

Falando durante uma viagem a Atenas, Westerwelle pediu diálogo e compromisso entre os líderes do Egito de modo que possam encontrar um fim para a crise. O ministro também prometeu apoio alemão nesse processo.

Na quarta-feira, o Exército egípcio tirou Morsi do poder em uma ação que o palácio presidencial chamou de "golpe militar completo". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
egitocrisealemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.