Ministro alemão quer referendo sobre Constituição da UE

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, disse que é a favor de um referendo em seu país sobre a Constituição Europeia. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal alemão Bild am Sonntag.

NALU FERNANDES, Agência Estado

11 de agosto de 2012 | 15h21

"Eu espero que tenhamos uma verdadeira Constituição Europeia e que também haja um referendo sobre isso", disse Westerwelle, que é do Partido Liberal Democrático (FDP, na sigla em inglês), parte da base governista da Alemanha.

Outras figuras políticas centrais também apoiam esta ideia, incluindo o primeiro-ministro do Estado alemão da Baviera, Horst Seehofer, que dirige os democratas cristãos (CSU, na sigla em inglês), um partido-irmão dos democratas cristãos da chanceler Angela Merkel.

Para ele, "há três áreas sobre as quais é preciso questionar o povo alemão". Seehofer cita uma transferência de competências essenciais para Bruxelas, a adesão de novos Estados à União Europeia e a ajuda financeira alemã para outros países.

Em junho, o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, falou favoravelmente sobre um referendo revisando a constituição alemã para permitir transferência de mais responsabilidades para Bruxelas. Mas, em novembro, Merkel rejeitou a ideia de um referendo na Alemanha sobre as políticas europeias.

A legislação alemã exige um referendo nacional somente em circunstâncias extremas, como questões de fronteiras ou adoção de uma nova legislação fundamental. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaConstituiçãoAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.