Ministro alemão renuncia após escândalo de plágio

O ministro da Defesa da Alemanha, Karl-Theodor zu Guttenberg, pediu demissão hoje após a revelação de que sua tese de doutorado tinha trechos plagiados. O escândalo abalou a carreira do político, visto como um dos mais promissores entre os jovens na política do país europeu.

AE, Agência Estado

01 Março 2011 | 10h38

Guttenberg disse hoje, no Ministério da Defesa, que estava entregando seu cargo à chanceler Angela Merkel. Ele definiu essa ação como "o passo mais difícil de minha vida", mas a fúria de pesquisadores e parlamentares da oposição após a descoberta de que muitos trechos da tese de 2006 haviam sido copiados sem citação das fontes impediu sua capacidade de cumprir suas tarefas. "Eu estou sempre disposto a brigar, mas alcancei o limite de minhas capacidades", afirmou ele.

O apoio popular a Guttenberg permaneceu alto, mesmo com o escândalo por plágio que surgiu há duas semanas. Mas a pressão da academia e da oposição pela renúncia cresceu bastante. A Universidade de Bayreuth, onde ele havia recebido o doutorado com honras em 2007, revogou seu título. Alunos de doutorado publicaram uma carta aberta pela renúncia do ministro, firmada por mais de 50 mil pessoas na internet.

A renúncia é um sério problema para Merkel, cujo partido se beneficiava da popularidade de Guttenberg entre os eleitores. A União Democrata Cristã, de Merkel, terá uma dura disputa regional em Baden-Wuerttemberg em 27 de março. Guttenberg, membro da aliada União Social Cristã no Estado vizinho da Baviera, era um poderoso ativo na disputa regional.

Merkel reafirmou seu apoio a Guttenberg desde que o jornal Sueddeutsche Zeitung publicou a denúncia do plágio. Isso levou a críticas da oposição, para quem a chanceler estava apoiando um aliado que havia se mostrado um mentiroso. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.