Ministro Amorim está disposto a conversar com oposição venezuelana

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse hoje, em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, que está disposto a conversar com integrantes da oposição ao governo da Venezuela, "quando for oportuno". "No momento o mais importante é termos conversas entre os amigos (o grupo Amigos para a Venezuela) para verificar a forma de viabilizar esse diálogo", disse o ministro, que descartou, no entanto, a possibilidade de diálogo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com a oposição venezuelana. "Não se pode comparar o presidente eleito (Hugo Chávez) com os elementos da oposição?, disse o ministro. ?O governo brasileiro está disposto a receber líderes da oposição. O nível em que serão recebidos depende da sua própria representatividade no conjunto da oposição. Quem vai receber e em que momento são questões que se discutem." Celso Amorim evitou fazer uma análise sobre as declarações do assessor do presidente Lula da Silva para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, que se recusou conversar com os oposicionistas do governo Chávez, porque são ?golpistas?. "Não creio que seja meu papel ficar comentando declarações que nem ouvi com detalhes", justificou. "O que posso dizer é que, baseado nas instruções que recebi do presidente Lula, eu procurei articular uma coligação de países amigos da Venezuela que procura viabilizar uma solução pacífica democrática e constitucional na Venezuela", disse Amorim, que fez questão de ressaltar a competência do assessor do presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.