TV Estadão | 31.03.2015
TV Estadão | 31.03.2015

Ministro argentino considera estúpida denúncia por enriquecimento ilícito

Acusação contra Axel Kicillof por enriquecimento ilícito foi aceita pelo Ministério Público

Rodrigo Cavalheiro CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2015 | 16h54

O ministro da Economia argentino, Axel Kicillof, desqualificou a denúncia feita por um advogado contra ele na terça-feira, 30, por enriquecimento ilícito, e aceita pelo Ministério Público. "É estúpida. Esse senhor faz denúncias como quem canta na ducha de manhã. É um boca aberta irresponsável", disse o ministro à Rádio 10, que avalia se aciona o autor na Justiça. Os indícios de irregularidade chegaram ao magistrado federal Claudio Bonadio, apresentados pelo advogado Santiago Dupuy de Lome, ligado ao partido opositor Proposta Republicana (PRO). A iniciativa de abrir uma investigação foi do promotor federal Eduardo Taiano.  

Será investigado o crescimento do patrimônio do titular da Fazenda em 600 mil pesos (R$ 205 mil). Seus bens totalizavam 1,2 milhão de pesos (R$ 410 mil) e passaram a 1,8 milhão (R$ 615 mil) em um ano. Kicillof declarou em maio ganhar 55 mil pesos (R$ 18,8 mil). O juiz deve reunir declarações de renda e bens do ministro, assim como dados de contas bancárias, cartões de crédito e investimentos.  

Greve geral paralisa a Argentina

O advogado que iniciou a ação tomou iniciativas semelhantes contra kirchneristas nos últimos anos. Na foto de seu perfil na rede social Facebook, aparece abraçado ao candidato do PRO à presidência, o conservador Mauricio Macri, principal nome da oposição na disputa. Kicillof disse não saber se a iniciativa do advogado foi planejada em conjunto com o partido opositor.


Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaAxel KicillofEduardo Taiano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.