Ministro britânico pede renovação de arsenal nuclear

O ministro da Defesa do Reino Unido, Des Browne, afirmou nesta quarta-feira, 14, que a decisão sobre a renovação da força de dissuasão nuclear do país deve ser adotada o quanto antes. A declaração foi uma tentativa de evitar a maior rebelião nas fileiras trabalhistas no Parlamento desde a invasão do Iraque.Enquanto isso, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, disse que a renovação do arsenal nuclear é "necessário" para a segurança do país.Blair deve conseguir a aprovação de seu programa, que irá custar aos cofres britânicos pelo menos US$ 40 bilhões. No entanto, o primeiro-ministro só recebeu o apoio do Partido Conservador, sua oposição."Precisamos ser claros sobre o que esta decisão significa: é um firme compromisso para manter nosso poder dissuasório e isso é o que peço aos membros de nosso partido e o que pedirei esta tarde à Câmara dos Comuns, que apóie hoje", disse Browne à "Radio 4" da "BBC"."Nossa opinião é de que não podemos arriscar a segurança de futuras gerações tomando uma decisão agora que representaria de fato uma decisão unilateral de desarmamento e as privaria das opções que nós temos atualmente e que nossos deputados decidirão hoje na Câmara dos Comuns", acrescentou.Mais de 60 deputados trabalhistas assinaram uma emenda que defende o adiamento da decisão sobre o projeto de renovação do atual sistema Trident de mísseis estratégicos nucleares baseados em submarinos e, segundo a agência de notícias britânica "PA", outros 12 poderiam se unir a essa iniciativa.O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, pode ter de depender a partir de hoje dos votos da oposição conservadora para levar adiante seus planos, que já cobraram duas renúncias de deputados trabalhistas, do líder adjunto dos Comuns, Nigel Griffiths, e do assessor parlamentar Jim Devine.Browne reconheceu que era impossível contar com o apoio de todo o Partido Trabalhista nessa decisão. "Há um grupo de pessoas que, por princípios, e eu respeito sua posição, não está de acordo fundamentalmente com as armas nucleares e sempre foi assim", disse o titular da Defesa, para quem, no entanto, os críticos do projeto não conseguiram justificar sua posição.Browne disse que, embora atualmente não haja uma ameaça identificada, o "um mundo é incerto e muito perigoso", onde a situação pode mudar muito rapidamente.O documento sobre a renovação do Trident, conhecido como Livro Branco, situa seu custo em £ 20 bilhões (? 29,4 bilhões), mas a organização ambientalista Greenpeace acha que o custo final pode ser cinco vezes mais alto.O projeto gerou vários protestos, o último na manhã de hoje, quando três pessoas foram detidas após escalar o Parlamento de Edimburgo, na Escócia.ProtestosOs parlamentares do partido primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, planejaram uma rebelião nesta quarta-feira, 14, contra a proposta da construção de um sistema de defesa de mísseis nucleares.Os protestos alegam que o projeto poderia fazer com que o Irã também esteja no direito de possuir tecnologia nuclear em seu país.Cerca de 100 parlamentares, sendo 60 do Partido Trabalhista, o mesmo de Blair, devem rejeitar a proposta. Este parlamentares dizem que o sistema de defesa não foi testado, posição sustentada pelo ex-líder soviético Mikhail Gorbachev.Dois membros do governo de Blair já se declararam em oposição a esta proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.