Ministro chinês atribui atentado a doente mental

O primeiro ministro chinês, Zhu Rongji, atribui a um doente mental a explosão que destruiu a escola Fang Lin e causou a morte de pelo menos 42 pessoas, a maioria crianças menores de 12 anos. Zhu disse que, segundo as primeiras investigações, o responsável também morreu durante a explosão. As famílias das vítimas receberam do governo indenizações equivalentes a US$ 3.600para pagar os custos dos funerais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.