Ministro colombiano diz que foi vítima de escutas quando era senador

Político quer punição para envolvidos em esquema que ocorreu durante o governo de Álvaro Uribe

Efe

12 de setembro de 2010 | 22h27

BOGOTÁ - O ministro do Interior e Justiça colombiano, Germán Vargas Lleras, afirmou neste domingo, 12, que ele também foi vítima quando era senador das escutas ilegais a opositores, magistrados e jornalistas durante o Governo de Álvaro Uribe.

 

"Isso não pode continuar acontecendo no país", disse Vargas Lleras aos jornalistas em Medellín (noroeste) ao admitir ter sido vítima dessas escutas em seu período como senador.

 

Também pediu às autoridades judiciais que ditem "penas exemplares" para os envolvidos no escândalo das escutas e acompanhamentos ilegais que fez a central de inteligência, conhecida como Departamento Administrativo de Segurança (DAS), durante o Governo de Uribe (2002-2010).

 

"Eu ligo todas as semanas para o diretor do DAS, (Felipe Muñoz), que me garante que (já) não estão sendo cometidas interceptações ilegais", ressaltou o ministro ao reivindicar o "direito à intimidade" de todos os colombianos.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiaescutas ilegaisUribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.