AFP
AFP

Ministro da Defesa britânico renuncia após acusações de assédio sexual

Caso é apenas um de uma série de denúncias que envolvem pelo menos 40 políticos no Reino Unido

O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2017 | 18h44

LONDRES - Após ser acusado de assédio sexual pela jornalista Julia Hartley-Brewer, por ter colocado uma mão sobre seu joelho durante um jantar do congresso do Partido Conservador em 2002, o ministro da Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, renunciou a seu cargo nesta quarta-feira, 1.º, segundo um porta-voz do governo. Na segunda-feira 30, o ministro havia pedido desculpas à jornalista.

Michael Fallon declarou à BBC que seu comportamento no passado "talvez não tenha estado à altura". 

Essa denúncia é uma de várias que foram divulgadas nos últimos dias em uma lista elaborada por funcionárias do Parlamento britânico. Pelo menos 40 políticos e deputados foram acusados de cometer assédio sexual ou ter comportamentos impróprios. Além de Fallon, segundo o jornal Daily Telegraph, outro ministro estaria envolvido nas acusações.

John Bercow, presidente da Câmara dos Comuns, pediu nesta semana que os partidos britânicos adotassem medidas contra o assédio sexual. No domingo 29, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, havia enviado uma carta à Bercow, pedindo a instalação de um sistema mais rigoroso para punir os parlamentares que tivessem desvios de conduta. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.