Ministro da Defesa do Afeganistão deixa o cargo

O ministro da Defesa do Afeganistão, Abdul Rahim Wardak, renunciou ao cargo nesta terça-feira, alguns dias após receber um voto de não confiança do Parlamento do país. Wardak era um dos integrantes do gabinete de ministros do presidente Hamid Karzai que tinham a confiança dos Estados Unidos. A queda de Wardak deixa um ministério chave do Afeganistão sem comando, no momento em que as tropas afegãs começam a se preparar para ocupar os postos que serão deixados pelas forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) até o final de 2014.

AE, Agência Estado

07 de agosto de 2012 | 14h29

Em outros incidentes, um caminhão-bomba atingiu o portão de uma base da Otan no leste do Afeganistão, feriando seriamente várias pessoas. Uma bomba explodiu em uma rua, matando nove civis que subiam em um ônibus perto de Cabul. A Otan também informou que três dos seus soldados foram mortos em combates no sul e leste do Afeganistão, regiões onde os militantes se fortaleceram.

Wardak, que serviu ao governo afegão durante mais quatro décadas de guerras e conflitos que devastaram o país, agradeceu Karzai por tê-lo escolhido para o cargo e para liderar a reconstrução do exército afegão, que cresceu de 50 mil soldados para uma força de 195 mil militares, mas continua infestada pela corrupção e falta de profissionalismo. Os parlamentares aprovaram o voto de não confiança contra Wardak e contra o ministro do Interior, Bismullah Khan Mohammadi, após considerarem que ambos tiveram uma resposta muito fraca contra os ataques através da fronteira que os afegãos dizem ser feitos por militares do Paquistão.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.