Ministro da Defesa tenta salvar plano de Sharon

O ministro da Defesa israelense pediu hoje aos 193.000 filiados do Partido Likud para que aprovem no referendo de amanhã o plano unilateral do premiê Ariel Sharon de retirada da Faixa de Gaza, dizendo que eles não podem perder uma oportunidade histórica. O plano é bom para Israel e sua rejeição irá prejudicar a relação do Estado judeu com os Estados Unidos, advertiu o ministro da Defesa Shaul Mofaz numa entrevista à Rádio de Israel. Entretanto, pesquisas recentes apontam para uma derrota de Sharon. Analistas acreditam que o primeiro-ministro tenha subestimado seus oponentes e não se empenhou o suficiente para convencer seus partidários. Ao contrário, colonos judeus e linhas-dura do Likud promoveram uma campanha bem financiada e organizada, visitando dezenas de milhares de eleitores em suas casas. Pelo plano, Israel retiraria seus soldados e 7.500 colonos de Gaza e desmobilizaria quatro pequenos assentamentos da Cisjordânia até 2005. Neste domingo, as urnas estarão abertas das 8 da manhã às 10 da noite. Os resultados oficiais devem ser divulgados na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.