Ministro da Escócia é interrogado sobre ´venda´ de títulos

O primeiro-ministro da Escócia, Jack McConnell, do Partido Trabalhista, foi interrogado pela Polícia sobre a suposta "venda" de títulos honoríficos em troca de doações à legenda, informaram nesta terça-feira fontes ligadas ao político. McConnell foi interrogado como testemunha do caso no dia 15 de dezembro, um dia depois de agentes da Scotland Yard terem feito várias perguntas sobre o escândalo ao primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair. Um advogado do partido esteve presente no interrogatório, feito durante uma viagem de McConnell a Londres, segundo a imprensa britânica, citando fontes ligadas ao ministro.Aparentemente, a Polícia perguntou ao ministro sobre a proposta feita por ele para que Colin Boyd, assessor legal do Executivo escocês, recebesse em 2006 um título honorífico da Câmara dos Lordes do Parlamento britânico.Segundo a imprensa britânica, McConnell está incomodado por sua única proposta para título na Câmara estar fazendo parte da investigação policial sobre o escândalo.A Scotland Yard investiga se os trabalhistas descumpriram uma leide 1925 que proíbe a "venda" de títulos honoríficos públicos.Na sexta-feira, Ruth Turner, colaboradora de Blair, foi detida em relação à suposta "venda" de honras em troca de doações ao Partido Trabalhista, no governo.Turner, de 36 anos, foi detida sob suspeita de obstruir o curso da Justiça, mas logo foi liberada sem acusações. A colaboradora é diretora de relações do Governo e principal vínculo entre o escritório de Blair, em Downing Street, e o Partido Trabalhista.A polêmica sobre a "venda" de títulos começou em março, devido a uma denúncia do Partido Nacionalista Escocês, e depois que membros do Partido Trabalhista admitiram que a legenda recebeu cerca de ? 20milhões em doações procedentes de empresários.Alguns destes empresários foram depois indicados para ocuparcadeiras na Câmara dos Lordes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.