Ministro da Índia já admite 100 mil mortos

O ministro de Defesa da Índia, George Fernándes, disse hoje que o número de mortos em virtude do terremoto que atingiu o país na última sexta-feira pode chegar a 100 mil. ?Meus piores temores parecem uma realidade, o número de mortos estaria ao redor de 100 mil. É minha avaliação pessoal?, disse Fernandes à agência de notícias Associated Press. O ministro acrescentou que ainda era muito difícil fazer uma estimativa precisa das vítimas.Trabalhadores de resgate, com a monumental tarefa de retirar pessoas das montanhas de escombros, já localizaram mais de 7 mil cadáveres desde o terremoto de 7,9 graus de magnitude da escala Richter no estado de Gurajat, na última sexta-feira. Ontem, as equipes de busca tinham descartado a possibilidade de encontrar sobreviventes entre os escombros, mas o porta-voz do governo, Joachim Ahrens, acrescentou que ainda há chances.?Enquanto houver esperanças, não nos daremos por vencidos?, disse. O primeiro-ministro Atal Bihari Vajpayí anunciou a criação de uma agência nacional de desastres para responder às emergências. ?Nosso país não está preparado para enfrentar semelhante calamidade?, declarou Vajpayí. Já em Nova Delhi, o ministro da Agricultura Bhaskar Barua, apelou à organizações privadas em busca de assistência médica, roupas e mais voluntários para as tarefas de resgate.As réplicas do terremoto sacudiram ontem uma área da Índia, provocando o pânico nos moradores, mas sem ocasionar mais danos que algumas rachaduras em prédios. O governo informou que pedirá um empréstimo de US$ 1,5 milhões ao Banco Mundial e ao Banco de Desenvolvimento Asiático para a reconstrução da região devastada. O primeiro cálculo dos danos materiais da Federação da Câmara de Comércio e Indústria da Índia apontava para um prejuízo de US$ 5,5 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.