Ministro da Informação diz que Mubarak não renunciará

O ministro da Informação do Egito, Anas el-Fiqqi, negou na tarde de hoje que o presidente Hosni Mubarak renunciará mais tarde ao cargo. Mubarak fará um pronunciamento em rede nacional de televisão nas próximas horas.

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 16h37

O fato do Exército ter dito que as demandas do povo serão atendidas aumentou as expectativas de que o mandatário anuncie a própria renúncia. O comentário do ministro levanta a possibilidade de que Mubarak possa anunciar uma medida diferente, como manter o título de presidente, mas passar o poder efetivo a outro político ou ao exército.

Hoje, o diretor de inteligência nacional dos Estados Unidos, James Clapper, afirmou que os protestos populares contra o regime do presidente egípcio terão um "impacto duradouro" no norte africano e no Oriente Médio. "A instabilidade, nutrida em grande parte por descontentamento econômico e político, claramente alcançou um ponto crítico nas últimas semanas e terá um impacto duradouro por todo o norte da África e o Oriente Médio", afirmou Clapper, dirigindo-se aos parlamentares norte-americanos.

Também hoje, o vice-secretário de Estado dos EUA, Jim Steinberg, disse em texto ao Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes que o governo norte-americano irá trabalhar para garantir que a situação no Egito não crie "novos perigos para Israel e a região".

Segundo Steinberg, os EUA trabalharão para garantir que os governos façam e paz com Israel e "mantenham seus compromissos" com esse país. O Egito tem um acordo de paz com Israel. "Nós estamos comprometidos em garantir que as mudanças políticas nas fronteiras de Israel não criem novos perigos para Israel ou a região", afirmou Steinberg, que compareceu a uma audiência sobre a situação no Líbano e no Egito. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
renúnciaEgitoMubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.